Grey's Anatomy 12x11 - Unbreak My Heart


As lacunas na trajetória de Jackson e April.

Esse foi um episódio com uma estrutura diferenciada, uma estrutura interessante e que trás a atenção do público exatamente por ter uma abordagem diferente. É certo que muita gente não gosta desse casal, mas a história deles é uma prova substancial de que Shonda Rhimes e sua equipe de roteiristas sabem desenvolver personagens e fazê-los crescer de forma positiva, apesar dessa análise ser um ponto de vista muito pessoal.

Nunca desaprovei April, mas é inegável que a personagem carregava uma onda de chatice com suas lamentações sobre relacionamentos e crenças religiosas. A partir do momento de sua fuga com Jackson no dia de seu casamento com o paramédico avulso as coisas começaram a mudar, e isso só aconteceu porque o casal começou a dar passos concretos sem muitas indecisões e dramas desnecessários. Obviamente, ao longo de todo o período em que eles permaneceram juntos houve drama, afinal, estamos falando de Grey's Anatomy. Porém, alguns desses momentos foram relevantes e conseguiram abordar temas que facilmente poderiam ocorrer em nossas vidas.

A fase mais dolorosa veio com a gravidez e em seguida com a descoberta da doença/ morte de Samuel. Ali o casal começou a se desmanchar, mas apesar de todas as formas mostradas no luto de ambos o roteiro facilmente poderia reverter essa situação. A separação não precisaria vir, mas ela veio. E ela veio em um momento que não faz mais sentido que o casal retorne, mesmo com a gravidez inesperada de April. 

Vi esse episódio da mesma forma que o episódio focado na terapia de Callie a Arizona na temporada passada. Um episódio para mostrar os motivos do casal não ficar mais junto e assim colocar um ponto final nessa história. Deu certo para elas e não esperaria menos de Jackson e April. Entretanto, essa gravidez pode significar duas coisas dentro desse enredo: a grande chance do casal se acertar. - o que eu reprovo- Ou a oportunidade de mostrar uma médica e mãe separada, que consegue lidar com a guarda compartilhada do filho. Muita gente pode dizer que isso já dá certo com Callie e Arizona e que não teria necessidade da série focar nesse assunto. Mas em um momento em que tanto se fala em empoderamento feminino, tentar mostrar um lado diferente desse tema poderia ser interessante. Ainda mais que parecerá totalmente forçado quando o amor de Jackson por April retornar milagrosamente quando ele descobrir que vem um filho por aí.

Particularmente, prefiro apostar no fim definitivo do casal, principalmente por causa da atitude dela ao final episódio, embora isso não signifique a falta de mimimi, tendo potencial possibilidade que venha mais da parte dele do que dela. Enfim, alguns gostaram e outros não, mas a realidade é que a série conseguiu mais uma vez entregar um ótimo episódio com potenciais boas tramas. Que venha mais!
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário